cacau

cacau
A quebra ocorre devido a de doenças que afetaram os cacaueiros e dificuldades financeiras para investir no cuidado das culturas (Imagem: Pixabay/skoddeheimen)

Consumidores agora podem esperar preços mais “dolorosos” na hora de comprar ovos de Páscoa e chocolates neste ano de 2024.

Isso ocorre porque os preços globais de cacauprincipal matéria-prima dos produtos, continua em alta no mercado internacional. O principal fator que tem influenciado os preços globais é o equilíbrio global mais apertado entre oferta e procura.

O ano deverá ser o terceiro ano consecutivo de défice na balança global, em que a procura mundial de cacau excede a oferta.

“Este é um cenário muito raro para o mercado do cacau e por isso gera tanta preocupação. A última vez que o mundo registou três défices consecutivos foi em 1969. Portanto, com os comerciantes a anteciparem este novo défice este ano, os stocks globais de cacau também deverão sofrer quedas significativas.” diz Leonardo Rossetti, analista de mercado de cacau da PedraX.

  • Quais são as melhores recomendações de investimento para março das maiores casas de análise e bancos do país? Money Picks analisou 20 portfólios recomendados para descobrir a resposta – veja aqui gratuitamente.

A principal razão para esta queda na oferta é devido à quebra de safra em Costa do Marfim e Gana, os dois maiores produtores de mercadoria no mundo, que respondem por 60% da produção global.

A quebra ocorre devido a de doenças que afetaram os cacaueiros e dificuldades financeiras para investir no cuidado da cultura e na fertilização adequada.

Por outro lado, a procura provou ser mais resiliente do que todos esperavam. As empresas de chocolate e produtos que utilizam derivados do cacau (como o cacau em pó) têm operado com margens mais estreitas e repassando gradativamente esses custos mais elevados aos preços para o consumidor final”, analisa Rossetti.

Porém, destaca ele, apesar dos preços mais caros, a demanda por esses produtos tem sido muito mais firme do que todos esperavam, tendo apresentado pouca queda até o momento.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

E a commodity no Brasil?

O analista StoneX destaca que O Brasil acompanha essas altas de preços no mercado internacional.

“Apesar da nossa produção, ainda temos que importar parte do cacau que consumimos. Dessa forma, o mercado brasileiro utiliza a bolsa dos Estados Unidos como referência para a precificação do cacau, o que traz influência direta dos aumentos do mercado internacional para o nosso mercado interno”, afirma.

Embora os preços na Bolsa de Nova York tenham valorizado cerca de 110% desde o início de 2023, os preços do cacau na Bahia no mesmo período aumentaram cerca de 97%.

“Assim, a indústria de chocolate no Brasil também tem sofrido muito com os custos da matéria-prima e deve continuar repassando esses custos para o produto, ainda que em menor proporção, ou reduzir o tamanho de seus produtos. Estas mudanças já deverão ser notadas nesta Páscoa, o que poderá impactar também no desempenho de vendas destes produtos”, acrescenta.

Cacau Show projeta vendas e preços maiores

Na opinião do vice-presidente da Cacau ShowDaniel Roque, o aumento de preços previsto para a campanha de 2024 é de pouco mais de 6,7% em relação a 2023.

“O recente aumento do preço do cacau obrigou-nos a fazer um novo reajuste nos preços dos ovos de Páscoa. Muito longe do que aconteceu com o cacau, que já superou a alta de 75% acumulada desde o início de 2024, nossos ovos de Páscoa totalizaram alta de 12,9% no preçoé“, Explicar.

Desde o ano passado, a empresa abriu 548 novas lojas, além de ampliar sua base de revendedores.

“Todo esse trabalho está por trás da expectativa de uma Páscoa maior e melhor para 2024. Pretendemos passar de 17 milhões de ovos vendidos no ano passado para pouco mais de 21 milhões agora”, ressalta.

Roque vê cenário muito complexo na bolsa Cacau, mas entende que esse cenário afeta as empresas de chocolate em geral. Por isso, trabalham com análises e ferramentas que visam minimizar impactos.

Ele lembra que o cacau atingiu seu maior patamar desde o início da medição na Bolsa de Nova York, onde teve seu maior pico em 1977.

“Dessa forma, o cenário realmente pegou todo o mercado mais descoberto e, por isso, acreditamos que o mercado terá impacto e que, neste momento, as empresas mais eficientes e inovadoras como nós poderão ficar à frente e minimizar esses impactos. Ou seja, buscamos alternativas em eficiência, equipamentos e produtividade que nos ajudem a não repassar esse aumento na sua totalidade, mantendo a qualidade e apresentação de produtos reconhecidos pelo consumidor”, finaliza.

Fonte