Stellantis investirá R$ 30 bilhões na América do Sul |  BRASIL MEIO-DIA

Como Anúncio da Stellantis de que reforçará seus investimentos no Brasila expectativa é que os investimentos em montadoras no país chegam a cerca de R$ 95 bilhões até 2030. O número considera aportes de 11 empresas, com prazos e valores que variam. Confira abaixo:

  • Stellantis: R$ 30 bilhões entre 2025 e 2030
  • General Motors: R$ 7 bilhões entre 2024 e 2028
  • Renault: R$ 5,1 bilhões entre 2021 e 2027
  • Nissan: R$ 2,8 bilhões entre 2023 e 2025
  • CAOA: R$ 4,5 bilhões entre 2021 e 2028
  • BYD: R$ 3 bilhões entre 2024 e 2030
  • GWM: R$ 10 bilhões entre 2023 e 2032
  • BMW: R$ 500 milhões
  • Hyundai: R$ 5,45 bilhões
  • Toyota: 11 bilhões até 2030

A renovação do ciclo de investimentos das empresas no Brasil, para Antônio Jorge Martins, coordenador dos cursos de MBA Automotivo da FGV, se deve especialmente à “disrupção” que esse mercado tem sofrido nos últimos anos — impulsionada pelos avanços tecnológicos e pelas preocupações com a transição energética.

Os investimentos da Stellantis, Toyota, Hyundai, General Motors, por exemplo, foram anunciados depois que o governo Lula delineou sua novo programa automotivo. O Mover, que traz R$ 19,3 bilhões às montadoras, prevê tributação diferenciada para veículos sustentáveis ​​e incentivos para atividades de pesquisa e desenvolvimento.

Logo após o anúncio, o setor elogiou os incentivos e sinalizou fortalecimento dos investimentos. Ao anunciar os números, as empresas destacaram que parte relevante desses aportes será destinada a veículos elétricos e híbridos.

Para Antônio Jorge Martins, além da “disrupção” do mercado, a entrada de empresas chinesas no país como BYD, Great Wall Motors e CAOA reforçou a concorrência no país e levou o setor a se movimentar para não perder espaço no Brasil — país com diferenças estratégicas para a transição energética.

“Eu diria que o maior volume de investimentos das empresas chinesas aumentou a necessidade de concorrência para as empresas. Eles estão vindo com muita tecnologia e reforçando a concorrência”, afirma o especialista.

Volume e prazo de investimento

As compilações de Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) indicam que o volume anunciado constitui o maior ciclo de investimentos da história do setor no Brasil.

Apesar de ver o Mover — continuação do Rota 2030 — como a principal iniciativa governamental para impulsionar o investimento, a associação também destaca o papel da reforma tributária, do Quadro de Garantias e da nova política industrial na melhoria do ambiente de investimento.

Comparado aos ciclos anteriores, o volume de investimentos é relevante, na visão do coordenador da FGV. Ele destaca, no entanto, os prazos em que esses investimentos serão realizados, que por vezes se estendem até a próxima década.

O prazo para realização de investimentos é avaliado como positivo em partes, especialmente porque algumas das tecnologias que compõem os mercados de carros híbridos e elétricos ainda estão em fase de pesquisa e desenvolvimento — e precisam receber dinheiro durante anos para se concretizarem.

Veja: Stellantis investirá R$ 30 bilhões no Brasil

Fonte