Linha verde representa o trajeto do avião da Polícia Federal que caiu em Belo Horizonte

O avião da Polícia Federal caiu nesta quarta-feira (6) no aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte (MG), caindo cerca de um minuto após decolar do mesmo aeródromo. Duas pessoas morreram e outra ficou ferida.

Imagens de câmeras colocadas próximas à pista mostram a aeronave decolando e, pouco depois, perdendo o controle e colidindo com um dos pontos de acesso do terminal.

Segundo o site de monitoramento Flightradar24, o avião decolou às 14h14 e caiu no solo às 14h15, próximo à Lagoa da Pampulha.

Segundo a ferramenta, a aeronave atingiu a altitude de 2.950 pés, o que equivale a pouco menos de 900 metros.

Veja o layout do avião:

Linha verde representa o trajeto do avião da Polícia Federal que caiu em Belo Horizonte
Linha verde representa o trajeto do avião da Polícia Federal que caiu em Belo Horizonte / Reprodução/Flightradar24

Ainda segundo o Flightradar24, na última terça-feira (5), um dia antes do acidente, o avião acidentado realizou um voo de 30 minutos, decolando e pousando no aeroporto da Pampulha. A aeronave sobrevoou a região metropolitana de Minas Gerais, passando pelos municípios de Brumadinho, Contagem e Ribeirão das Neves. A decolagem ocorreu às 14h29 e o pouso às 14h59.

Na segunda-feira, o avião fez outro voo sobre a Grande Belo Horizonte. O vôo durou pouco menos de 40 minutos e também teve o aeroporto da Pampulha como ponto de decolagem e pouso.

Assista ao vídeo do outono:

Como era a aeronave acidentada?

O avião da Polícia Federal que caiu em Belo Horizonte era um monomotor turboélice Cessna 208B, matrícula PR-AAB.

Segundo registro na Força Aérea Brasileira (FAB), a aeronave foi fabricada em 2001 e tinha capacidade total para 11 pessoas, sendo dois tripulantes e nove passageiros.

A aeronave foi adquirida em novembro de 2001 e, segundo a FAB, encontrava-se em situação normal de aeronavegabilidade.

Quem estava a bordo

A PF informa que estavam no voo os policiais federais Guilherme de Almeida Irber e José Moraes Neto e o mecânico Walter Luís Martins, de empresa terceirizada.

Os dois policiais morreram no local, enquanto o mecânico foi levado ao hospital João XXIII. Segundo a corporação, ele “está cuidado, lúcido e orientado”.

A Polícia Federal informou, em nota, que “já iniciou investigação para apurar as circunstâncias do acidente” e que “enviará nas próximas horas especialistas em segurança de voo e acidentes aéreos para auxiliar nas investigações”. O diretor-geral da PF, Andrei Rodrigues, também irá ao local.

O acidente será investigado pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa).

Fonte